Como escolher o melhor óleo essencial para cada situação

Por vezes, escolher o melhor óleo essencial para uma determinada situação pode ser um pouco confuso, afinal, os óleos essenciais são substâncias complexas em composição química e também em propriedades. Um óleo essencial é capaz de atender várias demandas de uma única vez. Nesse post, vamos explicar um pouco mais sobre esse assunto, acompanhe!

O primeiro passo é sempre entender bem qual é a sua necessidade de cuidado como um todo. Por exemplo, se está com dor de cabeça, antes de escolher um óleo essencial pense em quais outras sensações você está sentindo no momento: está cansado? Sente-se sobrecarregado? Está com dificuldade para dormir? Anda com dificuldade de concentração? Essas perguntas podem te dar dicas sobre os seus próprios sintomas e, assim, você pode compreender melhor quais das diferentes opções de óleos essenciais podem ser usadas para tratar uma mesma demanda.

Pense nesse cenário: você vai estudar para uma prova importante e precisa de foco. O OE de Menta Piperita (hortelã pimenta) vai te deixar focado e cheio de gás. Mas e se, além do foco, você sentir que precisa diminuir um pouco a ansiedade? Aí você pode tentar o OE de Limão Siciliano ou de Cedro, pois além de serem opções que auxiliam na concentração, também são capazes de atuar reduzindo a ansiedade. Você pode inclusive fazer misturas de óleos, os chamados blends, para atender suas demandas mais especificamente. Só cuidado pra não abusar, viu? Na dúvida, revise o nosso post sobre como montar um blend de óleos essenciais.

Conhece aquele ditado: matar dois coelhos com uma cajadada só? Seria exatamente assim. Pois o nosso corpo, quando adoece, também está sendo impactado por outros aspectos externos e internos: as nossas emoções, os nossos hábitos de vida e o nosso contexto do adoecimento. E por serem substâncias tão completas, os óleos essenciais podem cuidar desses diferentes aspectos de forma conjunta, basta se atentar aos diferentes aspectos de suas propriedades.

Contudo, não pense que isso precisa dizer respeito apenas às questões físicas em paralelo com as questões emocionais. Mesmo em sintomas exclusivamente físicos esses aspectos são importantes. Se você está sentindo dor pois está com um nervo inflamado, além de usar um óleo essencial com propriedades analgésicas é importante escolher também um óleo essencial anti-inflamatório.

Alinhando escolhas que façam sentido entre suas propriedades com seu gosto olfativo, você também aumenta a chance de eficácia de seu tratamento. Isso porque utilizar um aroma que nos é agradável promove bem-estar e diminui as chances de boicotar o tratamento, “esquecendo” de usar os óleos necessários por querer evitar o aroma desagradável. Pois quando você gosta do cheiro escolhido, fará mais questão de utilizá-los devido ao prazer em sentir esse aroma.

No mais, garanta que tenha boas referências acerca dos óleos essenciais e de suas propriedades. Existem bons livros que você pode adquirir se desejar informações mais aprofundadas. Ou simplesmente busque páginas, como a nossa, que se preocupa em trazer conteúdos de qualidade, assim você vai saber com toda a certeza das diferentes potencialidades que um pequeno vidrinho pode trazer para o seu dia a dia em múltiplos aspectos.

Acompanhe nossas redes sociais!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: