Qual a importância de saber o país de origem de um óleo essencial?

Você já deve ter reparado que um dos itens presentes no rótulo dos óleos essenciais da Via Aroma, assim como de outras marcas especializadas em aromaterapia, é a discriminação do local de origem das plantas que foram utilizadas na extração dos óleos essenciais, depois envasados para serem revendidos. E existe um motivo bastante importante para isso, que você compreenderá ao longo deste texto.

Essa discriminação ocorre pois o fato de uma planta ser produzida em um determinado território, com características climáticas, de altitude e de solo únicas, influencia diretamente tanto na quantidade de produção, quanto nas características químicas dos metabólitos secundários (compostos naturais protetores) desta planta. E o que isso quer dizer? Mesmo que você colha sementes de uma única árvore ou erva e plante cada uma delas em diferentes países, com diferentes características de altitude, clima e solo, cada uma das mudas poderá produzir óleos essenciais com característica químicas e aromas bastante distintos das suas outras “irmãs” que nascerão e se desenvolverão em outros países.

Para exemplificar o papel e a importância na diferença de terroir – esse conjunto de características naturais que variam de acordo com o território e influenciam nas características das plantas ali produzidas – basta pensarmos sobre a variação de aromas, sabores e qualidade que ocorrem na produção de vinhos originários de uvas plantadas em diferentes regiões do Brasil e do mundo. Essas variações têm sido cada vez mais valorizadas também na produção de cafés e chás especiais, pois trazem características que podem agregar ou reduzir o valor do produto a ser consumido e comercializado.

No contexto dos óleos essenciais, percebemos que a quantidade maior ou menor de certos compostos químicos desejados ou indesejados em alguns compostos acabam variando significativamente dependendo do local em que são colhidas as plantas para a destilação. As lavandas da espécie Lavandula angustifólia, por exemplo, podem produzir uma maior ou menor quantidade de cânfora a depender do terroir em que é cultivada e isso impacta diretamente no óleo essencial que será extraído a partir delas.

Ter conhecimento sobre isso garante que saibamos escolher óleos essenciais mais adequados ou menos adequados para a finalidade que iremos determinar para utilização, além de impactar bastante nas características aromáticas que podem ser desejadas ou indesejadas se o foco de uso do produto for também sua qualidade olfativa.

Para compreender mais sobre o assunto, recomendamos que conheça um pouco mais a respeito do que são e para que servem as cromatografias dos óleos essenciais. E logo irá compreender que nem sempre uma cromatografia diferente de outra significa perda de qualidade e adulteração dos óleos essenciais. Podendo apenas representar uma diferença de terroir ou mesmo um ano de produção diferente com características de vivência climática diferente de uma safra anterior.

Confira um exemplo da cromatografia do nosso Óleo Essencial de Lavanda.


Se você se interessa por esse conteúdo, deixe a gente saber comentando e compartilhando nas redes sociais. Logo mais, traremos outras informações sobre esses assuntos técnicos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: