Óleos essenciais e interação medicamentosa

Talvez você já tenha lido por aí que óleos alguns óleos essenciais são contraindicados para pessoas com algumas condições especiais de saúde. Por exemplo, o OE de Alecrim é contraindicado para hipertensos, enquanto o OE de Gerânio é contraindicado para pessoas com histórico de câncer de estrógeno dependente, entre outras restrições. Essas contra indicações são importantes de se conhecer, mas existe um tipo específico bastante importante que ainda é pouco abordado: a contraindicação de associação de alguns óleos essenciais com certos medicamentos.

Essa contraindicação existe porque alguns compostos dos óleos essenciais apresentam risco ao fazer interação medicamentosa com certas medicações, podendo potencializar a ação do remédio ou inibir o seu efeito. Mas, não se preocupe, você ficará sabendo aqui as poucas associações que são arriscadas e entenderá como fazer um uso seguro dos óleos essenciais ainda que esteja fazendo uso de remédios.

As sinalizações que temos em pesquisa como sendo interações mais arriscadas estão associadas a alguns compostos moleculares específicos que são encontrados em poucos óleos essenciais. Os óleos que podemos destacar, dentre os mais comuns no mercado, como sendo arriscados são: Camomila Alemã (Matricaria recutita), Canela (Cinnamomum verum e Cinnamomum cassia) e Wintergreen (Gaultheria procumbens).

Veja também: É possível associar outros tratamentos com óleos essenciais?

A Camomila Alemã, também chamada de camomila azul, apresenta risco de interação medicamentosa com remédios antidepressivos e alguns ansiolíticos de diferentes classes. Esse risco existe seja por uso tópico, seja por uso inalatório. Portanto, caso faça uso de remédios psicotrópicos, evite o uso da Camomila Alemã. Ao invés disso, prefira o uso da Camomila Romana (Anthemis nobilis). Assim, terá uma opção com propriedades similares e uma condição de uso mais segura.

Os outros dois óleos essenciais citados, Canela e Wintergreen, são óleos essenciais com compostos que interagem principalmente com medicações de pacientes com distúrbio de coagulação sanguínea. Assim, se você faz uso de remédios que são antiagregantes plaquetários e/ou anticoagulantes, evite o uso desses óleos essenciais.

No caso do Wintergreen, por ser muito forte, o seu uso também se torna contraindicados até mesmo para medicações cujo efeito anticoagulante é secundário, como no caso da aspirina e alguns anti-inflamatórios. Wintergreen também é um óleo com outras várias contraindicações pelo seu alto teor de cânfora. Portanto, é importante conhecê-lo bem antes de usá-lo. É um óleo essencial excepcional para ser usado como analgésico, sendo comparado a emplastos farmacêuticos comumente comprados para aliviar a dor instantaneamente, mas é necessário usar com segurança.

No mais, existem outros componentes presentes em diferentes óleos essenciais que já foram demonstrados em pesquisas como possíveis interações com medicamentos comuns. Entretanto, fazendo um uso seguro dos óleos essenciais, por via olfativa, inalatória e por via tópica, com dosagens recomendadas de forma adequada, é possível usufruir do benefício dos óleos essenciais com total segurança.

Se você ainda tem dúvidas a respeito, confira outros materiais aqui no blog e nas redes sociais. Também não deixe de baixar nossos e-books gratuitos, com lançamentos mensais de conteúdos sobre o uso de óleos essenciais o dia a dia. Ainda tem dúvidas? Entre em contato conosco, estamos sempre disponíveis para auxilia-lo.

Acompanhe nossas redes sociais!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

Blog no WordPress.com.

Acima ↑

%d blogueiros gostam disto: